Por um mundo mais verde

“Alinhando sustentabilidade e economia, dando meio de sobrevivência a pequenos, médios e grandes proprietários de áreas que possuem floresta nativa,  conseguiremos parar de vez com a destruição de nossa riqueza maior, esse é o nosso sonho” 

Equipe da SaveTheGreen.World

PROTEGER A AMAZÔNIA DE TODAS AS FORMAS

Objetivo SaveTheGreen.World

Nossa estrutura visa preservar o máximo possível das florestas tropicais do Brasil, através de projetos sustentáveis que mantenham a floresta nativa em pé e com isso obter créditos de carbono.

A SaveTheGreen, foi criada tendo como principal missão de neutralizar a emissão de Gases de Efeito Estufa, através da remuneração de ações sustentáveis que permitam a conservação de florestas nativas.

Para isso lançamos uma plataforma onde projetos geradores de crédito de carbono provenientes de florestas nativas, serão comercializadas para empresas e indivíduos, podendo assim neutralizar sua pegada de carbono (GEE). Ao adquirir créditos de carbono, você promove diretamente a conservação das florestas, ajudando o mundo a ter uma qualidade de vida melhor. Essa é a pegada da SaveTheGreen.

Empresas sustentáveis são o futuro do mundo!

Perguntas Frequentes

O ZCO2 é um token lastreado em créditos de carbono gerados pela metodologia eCarbono Social da empresa Amazonascoin. Esta metodologia inovadora é o resultado de anos de pesquisa e aplicação da ferramenta AR –14 da ONU para medição de REDD+ de floresta em pé com objetivo de gerar benefícios sociais, ambientais, econômicos e culturais, potenciais.

Criada pela empresa Amazonascoin Participações, o projeto recebeu posteriormente um aporte do grupo Stonoex para reforçar o propósito de utilização do token no ecossistema cripto e como investimento verde social e empresarial, dada a possibilidade do projeto garantir uma implementação de sistemáticas ESG em pequenas, médias e grandes corporações.

Parte da arrecadação do ZCO2, conforme pré-definida em seu whitepaper, será destinada à execução de projetos beneficiários nas áreas onde a metodologia eCarbono Social foi aplicada, fazendo com que seja o primeiro token brasileiro lastreado em carbono com garantia real de impacto socio econômico em áreas degradadas ou isoladas.

Fundada em 2019, a Amazonascoin Participações surgiu junto a criação da “AmazonasCoin”, a primeira criptomoeda brasileira em tecnologia blockchain PoC (Proof of Concept) com o propósito de destinar parte de sua mineração para projetos de impacto socio econômico.

Seu objetivo desde a fundação é o de impactar o mercado de carbono por meio do lançamento de assets verdes, sendo o primeiro deles o ZCO2. Acesse mais informações sobre a AmazonasCoin neste link: www.amazonascoin.com.br

Criado em 2019 após a aquisição de uma das exchanges pioneiras no Brasil, a Bomesp, a Stonoex atua desde o início com foco na tokenização de ativos, os chamados “backed tokens”, ou “tokens com lastro”. Além da exchange, o grupo conta com empresas de serviços em tecnologia blockchain, consultoria de projetos digitais e mídia especializada no criptomarket. Acesse mais informações sobre a Stonoex neste link: www.stonoex.com

O ZCO2 possui um ciclo de desenvolvimento em fases conforme descrito a seguir:

Fase 1: Abertura do período da pré-venda e lançamento da “Calculadora de Carbono”; Listagem na exchange Stonoex (www.stonoex.com);

Fase 2: Criação do aplicativo oficial com informações gerais, política de transparência e plataforma de negociação; Lançamento do serviço de “concierge” para empresas que desejem acessar práticas de ESG ou projetos de neutralização de carbono;

Fase 3: Lançamento nacional do projeto;

Fase 4: Lançamento do ZCO2Y (detalhes desta iniciativa serão divulgadas em breve);

Fase 5: Lançamento internacional com atendimento às regras asiáticas, da União Europeia e dos EUA;

Fase 6: Criação da comunidade blockchain para escrituração de processos e projetos sustentáveis;

Fase 7: Implantação das tecnologias de monitoramento dos projetos de carbono;

ESCRITURAÇÃO EM BLOCKCHAIN DOS DADOS DE MONITORAMENTO

DISPONIBILIZAÇÃO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA EM APLICATIVO EM BLOCKCHAIN

NEGOCIAÇÃO DE CRÉDITOS DE CARBONO VIA APLICATIVO DE BANCO VERDE

IMPLEMENTAÇÃO DA USABILIDADE DE COMPRA E VENDA DE ATIVOS COM CRÉDITOS DE CARBON

As empresas que descarbonizarem pela Save The Green e emitirem os certificados de empresas carbono zero. Os créditos abatidos do estoque da Save The Green terão seus tokens correspondentes queimados, ou seja, sairão do mercado, proporcionando a escassez necessária para que o ZCO2 prospere e aumente sua valorização pela própria oferta e demanda do mercado.

A garantia é a escrituração da documentação do projeto de carbono na blockchain da Amazonascoin, é imutável e infraudável.

Os projetos certificados pela metodologia e Carbono Social da Amazonascoin participações segue os padrões internacionais de certificação de créditos de carbono preconizadas pela Organização das Nações Unidas.

Conteúdo da sanVocê pode entrar no link e verificar a existência da área, a sua preservação monitorada via satélite. Os cálculos dos créditos de carbono você pode verificar no relatório postado em nosso portal da transparência.fona

O portal da transparência do ZCO2 possui uma barra onde você pode acompanhar a quantidade emitida de ZCO2, a quantidade de tCO2e (créditos de carbono) gerados e em qual projeto foi gerado e pode comparar o estoque com os tokens vendidos, tudo transparente e fácil de conferirConteúdo da sanfona

A equipe econômica da Save The Green criou um índice com os principais de valores de comercialização de créditos de carbono no Brasil. No nosso portal da transparência você vai poder acompanhar a variação deste índice e saber a hora certa de negociar o seu token.

O banco mundial faz previsões anuais do valor de diversas commodities, entre elas o crédito de carbono. Nós vamos dar acesso a esses estudos no nosso portal da transparência. No último dia 26 de maio de 2021 a previsão para 2030 era de que o valor do tCO2e chegasse a USD$ 125,00 em recente estudo encomendado pelo governo dos Estados Unidos da América.

A Amazonascoin, patrocinadora da iniciativa Save The Green criou um fundo verde cripto para apoiar projetos socio econômicos no interior da Amazônia. Uma de suas primeira ações foi conduzir, por meio de uma empresa especializada em meio ambiente, o estudo florístico, faunístico, um relatório de auditoria de emissão de créditos de carbono e o relatório de impacto socio econômico do hotel Santana Rio Negro Lodge, local onde os créditos de carbono que lastreiam o ZCO2 foram emitidos.

Com base nisso, a Amazonascoin Participações criou a metodologia e Carbono Social, respeitando as especificações do mecanismo de desenvolvimento sustentável (MDS) criado no Acordo de Paris na Conferência Climática sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU)

Um exchange também tem que fazer a sua parte para a manutenção do ambiente. Empresas que seguem os princípios de sustentabilidade, meio ambiente e governança (ESG) estão mais aptas a se adaptar e compreender com maior abrangência o impacto positivo, para os próprios resultados e para a sociedade, por meio da adoção das práticas relacionadas ao conceito ESG.

Um token de carbono é um certificado digitais criptografado que comprova que uma pessoa, empresa, projeto ou instituição evitou a emissão de CO2 em determinado período, por meio de compensação ambiental, ou seja, ela contribuiu para que uma terceira parte excute um ação ambiental equivalente a 1 tonelada de gases do efeito estufa não emitidos.

Os tokens de carbono existentes no mercado são “mintados” – produzidos – representando créditos certificados anualmente por empresas estrangeiras que mal conhecem a realidade brasileira. Eles estão dentro do mercado especulativo onde seus criadores compram o crédito de carbono em um valor mais baixo (atacado) para vender mais caro como token (varejo).

A proposta do ZCO2 é justamente o de ser um ecossistema completo, onde os projetos geradores de crédito terão 8% da renda das vendas para empregar em suas ações de impacto sócio econômico, tudo monitorado e registrado em blockchain, de forma auditável em tempo próximo ao real, ou seja, ao comprar o ZCO2, você vai saber exatamente qual o benefício em sustentabilidade você está deixando para as próximas gerações.

O mercado de cripto ativos é muito volátil e incapaz de garantir a prosperidade dos assets nele inserido. Por isso o ZCO2 tem sua base de valorização no impacto socio economico que ele trará para sociedades em áreas isoladas ou degradadas, podendo compor as estratégias ESG de pessoas e empresas.

Esta é a garantia de prosperidade, ajudar a pessoas e empresas a transformar o mundo em um lugar mais justo e melhor para as gerações futuras

A negociação dos créditos de carbono é uma maneira de alguns país reduzirem numericamente as emissões dos gases que causam o efeito estufa. É como se cada país pudesse liberar na atmosfera uma determinada quantidade de gases. Alguns não atingem a meta, e podem comercializar esta cota na forma de créditos de carbono.

O mercado de carbono regulado surgiu em consequência do Protocolo de Quioto e as urgências em relação às mudanças climáticas. Assim, alguns dos principais países responsáveis pelo aquecimento global se comprometeram em reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, criando obrigações legais para empresas dentro de seus territórios que incluem o limite de emissões e a possibilidade de compra de créditos de carbono de mecanismos definidos em Quioto para compensar a emissão além da meta, no período de 2008 a 2012.

O comércio se dá por meio da certificação dos fornecedores de créditos de carbono do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, chamados Reduções Certificadas de Emissões – CERs em inglês.

O mercado de carbono voluntário surgiu de forma paralela ao protocolo de QUIOTO, com as Reduções Voluntárias de Emissões – VERs em inglês. Nele, qualquer empresa, pessoa, ONG ou governo pode gerar ou comprar créditos de carbono voluntários e implementar uma “consciência limpa” que hoje é chamada de iniciativa ESG.

Uma das principais diferenças entre os dois mercados é a precificação do crédito de carbono. Atualmente, os preços do mercado de carbono voluntário são mais altos comparados ao regulado.

A sigla ESG (sustentabilidade, meio ambiente e governança) foi criada para dar significado a uma métrica para avaliar o desempenho das empresas nesta nova conjuntura de construção de uma mentalidade mais sólida de preservação do planeta.

Na verdade, é a inclusão de uma nova rota de negócios e mercado: a dos investimentos que levam em conta critérios de sustentabilidade; ou ESG – Environmental, Social and Governance (em português, Ambiental, Social e de Governança), que só em 2020, aumentaram o valor de avaliação de empresas em até 80%.

Hoje, no Brasil, o mercado de carbono da BM&FBOVESPA é realizado em leilões de créditos de carbono, gerados tanto nos projetos ligados ao Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) como no âmbito do mercado voluntário.

Todavia, mais e mais empresas comercializam creditos de carbono para empresas e indivíduos que buscam implementar iniciativas sustentáveis (ESG) nos seus portifolios pessoais ou empresariais, em busca de aumentar seu valor no mercado.

A Amazonascoin Participações, em parceria com o Hotel Santana Rio Negro Lodge, localizado no interior do município de Barcelos -AM (maior que a área de dois países Portugal, sendo o segundo maior município do País), há mais de 600 km de Manaus, sua capital, desenvolveram uma iniciativa de gerar créditos de carbono de forma híbrida, contabilizando a preservação de mais de 1000 ha de floresta em pé (REDD++), com a mudança da planta energética do empreendimento, de combustível fóssil para energia solar (MDL) e com impacto socio econômico em apoio a projetos e iniciativas das associações do município.

Foram realizados os estudos florístico, faunístico, relatório de redução de emissões de carbono e projetos de empreendedorismo e capacitação em tecnologia que hoje impactam, direta e indiretamente, mais de 1000 habitantes, dos 25.000 existentes em todo o município.

Hoje a Amazonascoin Participações, co fundadora da iniciativa Save The Green, mantém uma iniciativa de e commerce com a Associação Indígena de Barcelos, para venda de móveis e artesanato e a capacitação de 200 jovens em uma Banda Marcial chamada de Falcão Imperial.

Além das iniciativas em Barcelos- AM, a Save The Green iniciou tratativas com a tribo indígena Paeté Suruí no Acre e com a Associação Indígena do Alto Rio Negro, no município de São Gabriel da Cachoeira-AM, no intuito de certificar novas áreas de carbono e levar desenvolvimento econômico a esses povos que vivem em áreas isoladas ou degradadas no interior da Amazônia.

Empresas independentes mantém portais da transparência e verificam , periodicamente, a veracidade das informações prestadas pelos criadores dos projetos de carbono.

A documentação que comprova a emissão de carbono dos projetos que lastreiam o ZCO2 são escriturados na blockchain nativa da AMZ, ou seja, eles não podem ser alterados.

O hotel Santana Rio Negro Lodge existe fisicamente e pode ser visitado pela internet ou fisicamente para a constatação da preservação lá existente, além do controle da emissão dos tokens e sua utilização no portal da transparência.

Anualmente, uma empresa de auditoria de reconhecimento internacional é contratada para ratificar a lisura dos processos da emissão do ZCO2, um processo ainda não existente nem no mercado cripto e nem no mercado voluntário de créditos de carbono.

O mercado tradicional de reflorestamento registra a existência de mais de 350 milhões de ha a serem recuperados no País. Junta-se a esse potencial o crescimento de valorização de empresas e pessoas que invistam em iniciativas de impacto socio econômico, como a do ZCO2.

O tamanho da capacidade de geração de recursos, em 10 anos, ultrapassa a casa de 50 bilhões de dólares em investimentos, segundo o Banco Mundial, em recente relatórios sobre commodities.

O Brasil é a nova Arábia Saudita, só que em vez de combustível fóssil, tem a preservação e o carbono como commoditie.

O mercado de carbono no Brasil não é regulado ainda, mas já há projetos de lei no Congresso Nacional com a intenção de regulá-lo.

O mercado de carbono pode movimentar mais de 320 bilhões de dólares no ano até 2025, segundo Organização das Nações Unidas, somente para a comercialização no mercado regulado de CER.

Os CER, certificados de créditos de carbono para compensação de emissões por países, mercado regulado, é auditado pela câmara climática da Organização das Nações Unidas. Entretanto, os créditos do mercado voluntário, os VER, são auditados por uma entidade independente, mas não estão sujeitos a registros da ONU e por isso não valem como meta de redução para os países que fazem parte do acordo internacional.

É uma empresa que calcula e monitorar o total das emissões de CO2 que a sua atividade realizada está produzindo, além de tentar reduzir esse impacto ao máximo, por meio de compensação ambiental, da compra de crédito de carbono, da adoção de medidas redutoras de emissão de gases do efeito estufa ou por uma combinação de duas ou mais das ações aqui apresentadas.

Uma empresa livre de carbono é uma empresa que não emite gases do efeito estufa para realizar suas atividades comerciais ou industriais.

O ZCO2 ajuda a desenvolver todos os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU

Preserve a floresta Amazônica através
da compra de créditos de carbono.

Neutralização Individual
Neutralização Industrial
Estoque Carbono
Árvores Plantadas